Programas de Milhas e Cartões de Crédito

Tempo de leitura: 5 minutos

O assunto de hoje é sobre uma das maiores dúvidas do brasileiro: Cartões de crédito, programas de pontos e milhagem. 

Graças aos programas de fidelidade dos cartões de créditos, temos duas opções de benefícios: Cashback, uma parte do dinheiro gasto volta para você, e Programas de Pontos, o valor gasto é convertido em uma quantidade de pontos (como o Iupp, Esfera, Multiplus e/ou Átomos), que posteriormente podem ser usados de diferentes formas, conforme o gosto do dono(a) dos pontos, podendo ser convertidos em desconto em compras, descontos em passagens aéreas, e até mesmo Cashback. 

Existem diferentes tipos de cartões de crédito (Gold, Platinum, Black, Infinite, etc.), diferentes bandeiras (Mastercard, Visa, Elo, etc.) e cada uma dessas combinações pode gerar um benefício de fidelidade diferente. 

Ao adquirir um cartão de crédito, automaticamente, você já está inscrito no programa de fidelidade da instituição financeira emissora. Vale lembrar que o crédito dessa pontuação se dá ao efetuar o pagamento da sua fatura, e que cada instituição pode ter uma pontuação diferente (mesmo para cartões “iguais” aos de outra instituição). 

Toda pontuação gerada pode ser convertida em um benefício à escolha do titular do cartão, sendo utilizados na maior parte dos casos utilizados na conversão de milhagem, utilizada na compra (com desconto) de passagens aéreas. A métrica de conversão também varia, mas normalmente ficam na faixa de 1:1 entre ponto e milha. 

Assim, pode-se dizer que, esses programas de fidelidade geram um desconto (às vezes, total) no valor de compra de um bem e/ou serviço, quando comparamos a economia gerada posteriormente na conversão dessa pontuação e/ou cashback utilizado. 

Por fim, usando-os de forma otimizada, pode haver conversão bonificada, ou seja, quando seus pontos valem mais milhas do que o habitual (1:2 ou até 1:3, dependendo da situação), gerando situações de economia ou até mesmo possibilitando um upgrade de classe em seu voo (econômica → executiva), sem nenhum custo adicional. 

Mas cada regra de conversão é específica entre programa de pontuação e companhia aérea e precisa ser observada com atenção. 

Tem medo de viajar de avião? Entenda porquê voar é seguro - Viracopos

Pontuação versus Cashback 

Essa também é uma dúvida antiga dos brasileiros:   

O que vale mais a pena: Cashback ou Programa de ponto? 

E a resposta é: Depende

Cada instituição tende a “puxar a sardinha para seu lado” e existem situações em que cada um deles pode fazer mais ou menos sentido. 

Com o dólar próximo aos R$ 5,00, dificilmente a conversão de Ponto em Milha será a melhor opção sem que haja um aproveitamento de condição especial (como conversão bonificada), assim, dependendo do cartão que você possuir, pode fazer mais sentido um cartão com cashback do que um que gere pontos. 

Mas existem também os cartões que geram muitos pontos (inclusive para gastos em reais), que podem fazer mais sentido, desde que você consiga ter acesso a ele. 

Cada situação precisa ser avaliada para que você consiga usufruir da melhor experiência e estratégia, de acordo com sua realidade, como renda e gastos mensais. 

Legal, mas como fazer para aproveitar melhor as milhas? 

(I) Concentre todos seus gastos em apenas um cartão de crédito: 

Você precisa tentar concentrar todos seus gastos com o cartão de crédito em um único cartão. Quer entender o motivo? Existem dois bons motivos para isso. 

O primeiro deles é o seu controle sobre os gastos. Centralizando tudo em um único cartão fica muito mais fácil de você controlar o que está gastando e assim, tomar decisões mais assertivas sobre seu dinheiro. 

O seguro motivo é pela questão de isenção dos custos do seu cartão, mais especificamente sobre a anuidade. Inúmeros cartões apresentam regras claras sobre a isenção da anuidade, conforme seus gastos atingem um valor x, y ou z. Esses valores dependem do Banco emissor, bem como a bandeira e o nível do cartão, mas, apesar disso, centralizar vai ajudar você a chegar nesse valor mínimo de uma forma mais fácil (sem que você tenha que gastar atoa) e te ajudar a economizar até R$ 1.000,00 por ano, a depender do cartão que você utiliza. 

Lembre-se que esse benefício deve ser utilizado com responsabilidade. Verifique sempre sua fatura, para não gastar mais do que deve e/ou pode. Anote todas as suas compras feitas no cartão, e, se possível, coloque todas as informações em um controle financeiro bem organizado e ajustado. 

(II) Aproveite as promoções 

Como dito anteriormente, para potencializar a utilização dos seus pontos gerados, é importante aproveitar boas promoções de conversão e para isso, você pode acompanhar as principais companhias aéreas e seus programas próprios de milhas. 

Temos, por exemplo, a Latam, Gol e Azul, que trabalham, respectivamente com a LatamPass, Smiles e TudoAzul. 

Criar uma conta nesses programas é gratuito e eles costumam enviar informativos constantes sobre trocas bonificadas, ajudando a converter de maneira mais eficiente, deixando sua compra de passagens aéreas mais baratas. 

Além disso, é importante planejar suas viagens com antecedência, para que também possa comprar as passagens com meses antes da data, ou até mesmo durante um período de baixa temporada, pagamento mais barato. Ou seja, quem se planeja, tem sempre maior eficiência. 

(III) Utilize seu cartão de crédito para acumular ponto 

Comprar no débito ou usando o cartão de crédito? Qual é a melhor opção? 

Para isso, temos que avaliar se há diferença de preços entre cada uma dessas estratégias de compra. Se não houver diferença, lembre-se que nas compras utilizando o cartão de crédito há uma maior geração de pontos, que podem ser convertidos em milhas. 

Isso não quer dizer que você precisa parcelar essas compras. Se você pagaria através do débito (ou pix) e começa a utilizar o cartão, a única diferença é quando o dinheiro sai da sua conta: 

Pagando no débito, ele sai na hora. Pagando no crédito, ele sai no vencimento da fatura. 

A diferença é que, normalmente, você gera quase 3x mais pontos usando o crédito ao invés de utilizar o débito. 

(V) Lembre-se: Milhas têm prazo de validade 

É necessário estar atento às milhas conquistadas já que algumas pessoas acabam esquecendo de usá-las e, acabam perdendo-as por causa da data de validade. Por isso, fique de olho no extrato e confira a data que os pontos perdem a validade. 

Uma forma de não se perder nas informações, é elaborando uma planilha de controle de cada milha. Dessa forma, você saberá quando cada ponto estará perto de perder a validade e você poderá usá-lo antes de perder as milhas.  

Outra forma de fazer esse controle é utilizando um aplicativo, como, por exemplo, o Oktoplus

Veneza anuncia que cobrará taxa de entrada para turistas a partir de 2022 -  Casa Vogue | Viagem

Concluindo, existem muitas opções no mercado e quando começamos a acumular milhas sem conhecer bem do assunto, é possível perder grande oportunidades, que nos fariam economizar muito capital na hora de viajar.

Conte com seu planejador financeiro para garantir as melhores opções para o seu momento. No Grupo Capital, temos um acompanhamento mensal com cada pessoa, além de um cuidado especial com este tema em nosso Journey book.

Frederico M Kùmbs – Diretor de Estratégia
Sergio K. Leão – Planejador Financeiro CFP® & Head de Investimentos
Cauê Valença – Mentor de Customer Sucess

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Veja outros artigos

Planejamento de Viagens

Tempo de leitura: 08 minutos Chegou a hora de garantir que aquela viagem tão esperada, saia ainda melhor do que você está imaginando! Para que